Trabalhos brasileiros sobre Zubiri (continuação até 2021)

83. 2011. BELLO, J. S. El hombre religioso y Deus en Xavier Zubiri. Tese Doutoral defendida na Universidade de Navarra. Espanha. 2011.

84. 2011. SAVELLI, Batismo e Eucaristia. Os Sacramentos na Perspectiva da Deificação. Dissertação de Mestrado. PUC. SP.

84. 2011. ZUBIRI, Xavier. Trilogia sensiente: Inteligência e Realidade”, “Inteligência e Logos” e “Inteligência e Razão”. Tradução de Carlos Nougué e Prefácios de José Fernández Tejada. Editora É Realizações. São Paulo. 2011.

Adicionar título

*Por José Fernández Tejada

TRABALH0S BRASILEIROS SOBRE X. ZUBIRI (de 1963 até 2010)

Introdução.

Fizemos nossa apresentação e proposta esperançada. A seguir vamos expor a relação de nossos encantamentos brasileiros, que conseguimos juntar, ainda sofridos e entusiasmados por muitos interessados. Os transcrevemos por ordem cronológica de publicação. Seguimos a forma “tradicional”, como usa Lazcano, e que é seguida para as notícias de consulta na Fundação. Temos certeza que outros ficaram escondidos ou guardados. Assim, esperamos poder ir depositando, na sequência cronológica, esses choques e novos estudos, aplicações e desafios. Todos, estaremos semeando o poder do real, que nos abre o caminho senciente.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é livros_zubiri.jpg

A trilogia Inteligência senciente é a obra prima do filósofo espanhol. Nela é abordada a metafísica da realidade a partir dos primeiros filósofos gregos, de uma maneira original e clássica ao mesmo tempo. Seu conteúdo é a exposição de todo o amadurecimento da construção filosófica de Zubiri, a qual une tanto a sua formação filosófica como científica.

Nesta obra, Zubiri se baseia em toda a história da filosofia e da ciência para criar uma nova visão, que incorpora elementos-chave e insights de todos os pensadores, mas também onde cada um desses temas falhou. O escopo, a profundidade e a clareza da filosofia de Zubiri sugere que ela é tanto o resultado de 2.500 anos de esforço intelectual intenso como também a base sólida sobre a qual o conhecimento pode ser construído no futuro.

Dos poucos livros que o autor escreveu propositalmente, a trilogia senciente teve a intenção, cobrada e amadurecida, de registrar as chaves de seu pensamento original. E não há dúvidas de que esta é uma obra “clássica” e “histórica” da filosofia; referência necessária para os que se aventuram rigorosamente ao fazer filosófico. As propostas e críticas do autor contidas nos seus textos mantém a pujança de um pensamento vivo, cuja leitura surpreende pela sua atualidade.

A obra de Zubiri, como um todo, foi construída num importante momento de avivamento do pensamento espanhol e mundial diante da crise da modernidade e da razão científica e filosófica. Crise esta marcada na Espanha pela da ditadura de Franco e que definirá penosamente seu itinerário pessoal e filosófico. No texto “Nossa situação Intelectual”, escrito em 1942, Zubiri desenha tais situações. Esta leitura perspicaz, global e contundente do mundo de sua época foi o ponto de partida da longa caminhada até a Trilogia Inteligência Senciente. Zubiri não se deixa levar pelas urgências nem pelo pessimismo.

85. 2011. FERNÁNDEZ TEJADA, José. Prefácios da Trilogia senciente: Inteligência e realidade (ix-xlv), Inteligência e logos (ix-xix) e Inteligência e razão (ix-xxiii). 2011. Apresentação jem Sãp Paulo, junto com A. Tadeu Cheriff dos Santos e Saldanha Braga. Essa intervenção foi editada e, Youtube, inteira e por temas, por Felipe Cherubin, na época assessor de imprensa da Editora É Realizações

86. 2011. _____________________e outros. O significado da filosofia de Xavier Zubiri na Filosofia Espanhola. Tradução autorizada de José Manuel San Baldomero Ucar. Apresentamos a obra para mais de 30 pessoas interessadas. Distribuímos para elas o texto editado pela Editora É Realizações.

87. 2011. ZUBIRI, Xavier. O que é investigar? Tradução de José Fernández Tejada e Fernanda Maria Fernández Tejada e foi colocado, com muito acerto, pela editora no Posfácio do livro, Inteligência e Razão (pgs. 283-287). Este texto é o discurso de recebimento do Prêmio “Ramón y Cajal” à Pesquisa Científica -18-10-1982, junto com seu amigo o pesquisador Severo Ochoa, co-prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina em 1959., Madrid, 19/10/1982, p. 43. E está no livro de X. Zubiri: Escritos Menores (1953-1983), pgs. 321-325.É sua posição filosófica dá relação entre ciência e filosofia: “investigar a realidade”, não conceitos e nem teorias, mas através deles chegar mais fundo na compreensão da realidade para o ser humano.

88. 2011. CASTRO ROCHA de, João Cezar. Uma nova ideia de sentir e pensar. in Caderno Sabático Estadão, São Paulo: 8/10/2011. Começava assim: “Na Trilogia Inteligência Senciente que ganha tradução no Brasil, o espanhol Xavier Zubiri radicaliza o pensamento de Emanuel Kant e Martin Heidegger e condena a separação entre razão e sensibilidade. UMA NOVA IDEIA DO SENTIR E PENSAR”.

89. 2011. FERNÁNDEZ TEJADA, José. Apresentação em vídeo feito por Felipe CHERUBIN. 8/10/2011. http://m.estadao.com.br/noticias/impresso,uma-nova-ideia-do-sentir-e-pensar,782820.htm. Este vídeo feito pela editora também foi editado pelo responsável de publicações da editora em versões temáticas por Felipe Cherubin.

90. 2011. ___________________________. Vídeo da palestra de lançamento da TRILOGIA SENCIENTE, de José Fernández Tejada e A. Tadeu Cheriff dos Santos. http://www.erealizacoes.com.br/espaco/janelaVideo.php?video=Palestra_Trilogia-Zubiri&posicao=2.

91. 2011. _____________________.Versões temáticas editadas em vídeo, (por Felipe Cherubin) canal yotoube da editora É Realizações. Apresentando Xavier Zubiri

92. 2011. ______________________. Legado filosófico e desafio para os pensadores do futuro. http://www.youtube.com/watch?v=QHyu-MBRNUw.

93. 2011. ___________________. Inteligência Senciente, do filósofo Xavier Zubiri. http://www.youtube.com/watch?v=8NDGf1WfBfI.  

94. 2011.________________________. Realidade, Condição Humana e a Onda Sofística, segundo Xavier Zubiri. http://www.youtube.com/watch?v=NrO3hLTlaEU.

95. 2011. __________Xavier Zubiri e pensamento brasileiro
http://www.youtube.com/watch?v=I-J1LODOXaI.

96. 2011. _______________________. Diálogo entre Xavier Zubiri e Martin Heidegger: A história sobre o segundo volume de “Ser e Tempo”
http://www.youtube.com/watch?v=mCLezlX5Gi8(

(*Por motivos desconhecidos atualmente não constam nenhum deles no canal do YouTube da editora. Mais tarde, Eduardo Luiz copiou no seu canal do YouTube o tema de Diálogo entre X. Zubiri e Martin Heidegger, no dia 12/02/2016. Apesar do sumiço dos vídeos, temos dados de que a palestra toda tinha sido visitada mais de 4.800 vezes e o YouTube mais de 1.800).

97. 2011. GUIA DE FILOSOFIA, DA FOLHA DE SÃO PAULO. Notícia da Inteligência Senciente. Nem só de Unamuno e de Ortega y Gasset se faz a filosofia espanhola do século 20. Xavier Zubiri (1898-1983) nos legou uma obra tão densa quanto seus interlocutores, como Einstein, Husserl e Heidegger…”). São Paulo. 28/10/2011, p. 26.

98. 2011. SAVELLI, Pedro. PUC-SP. Dissertação. Batismo e Eucaristia na perspectiva da deificação. Orientador: Valeriano Santos Costa. PUC-SP.

99. 2011. CESCON, Everaldo. O problema de Deus e a questão da religião em X. Zubiri. 2011. in Luchi, José Pedro (org). II Simpósio org). II Simpósio de Filosofia e Religião da UFES, Aquarius, 58-78.

100. 2011. ______________. Alguns aspectos da recepção do pensamento zubiriano na Ibero américa. Redes (Vitória), v. 9, p. 51-75, 2011.

101. 2011-2013.____________. Projeto de Pesquisa. Filosofia latino-americana: o pensamento de Xavier Zubiri e a sua contribuição à reflexão filosófica sobre a religião em nosso continente.

102. 2012. F. DA ROCHA, Eduardo. Paraná. Auto distanciamento em Viktor E. Frank a partir da compreensão de Logos de Xavier Zubiri. Orientador Eliseu do S. Gomes. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Revista Logos & Existência. Rev. da Associação Brasileira de logoterapia e análise existencial, 1 (1), 15-25, 2012.

103. 2012. ZUBIRI, Xavier. Cinco Lições de filosofia, com um novo curso inédito. Tradução de Antonio Fernando Borges. Prefácio de José Fernández Tejada e A. Tadeu Cheriff dos Santos. É Realizações, 2012. Por motivos alheios não saiu na contracapa a foto de Zubiri, que identificariam, como combinado, todas as outras traduções, como foi na Trilogia senciente.

“Cinco Lições de Filosofia é a obra zubiriana mais informativa e acessível aos iniciantes no pensamento filosófico. Na Espanha, foi publicada continuamente por mais de 45 anos e fazia parte de uma coleção de bolso destinada a um público bastante amplo. Além das lições sobre Aristóteles, Kant, Comte, Bergson e Husserl, esta edição traz também o texto “O Sistema do Real na Filosofia Moderna”. Esse é um material muito mais denso, cujo tema central é marcado pela ideia das quatro substantivações (espaço, tempo, ser e consciência) que, segundo Zubiri, determinam as especificidades da filosofia moderna, submetidas pela primeira vez a um tratamento sistemático. É instrutivo observar como Zubiri esboçou a ideia própria de uma inteligência senciente como forma de atualidade da realidade para ser usada como saída do esgotamento filosófico do horizonte moderno, uma questão que não vai deixar de levantar interrogações e quiçá discussões”.

104. 2012. FERNÁNDEZ TEJADA, José e CHERIFF DOS SANTOS, A. Tadeu. Prefácio (p. 7-24) à tradução portuguesa de Cinco lições de filosofia, com um novo curso inédito. É Realizações. São Paulo, 2012.

105. 2012. BATISTELLA, Rogério. São Leopoldo. A filosofia da realidade histórica de Ignácio Ellacuria como horizonte político humanizador. São Leopoldo. Unisinos. Tese de Doutorado. Orientador: Alfredo Culleton. Seu interesse pela filosofia espanhola vem dos estudos na Universidade Gregoriana em Roma.

106. 2012. RIBEIRO TAVARES DA SILVA, Renata. A filosofia contemporânea: reflexões a partir de X. Zubiri. In XX Encontro Nacional da Anpof. 2012.

107. 2012. _____________________________. Filosofia e contemporaneidade: um diálogo entre Heidegger e Zubiri. Ensino de iniciação científica e 11ª amostra de pós-graduação.

108. 2012. ZOBOLI, Elma.Bioética clínica na diversidade: a contribuição da proposta deliberativa de Diego Gracia. Revista Bioethicos. Centro São Camilo. SP. 2012, 6(1): 49-57.

Resumo: “A ética do século XX recuperou conceitos clássicos como ‘racionalidade prática’, ‘deliberação’ e ‘prudência’. Na clínica, a imposição deu lugar à autogestão, e os hábitos deliberativos tornaram-se essenciais. A deliberação moral é a consideração dos valores e deveres intervenientes nos fatos concretos para conduzir a situação de maneira razoável e prudente. Sua racionalidade não é idealista, pragmática ou utilitarista, assim, não visa à decisão ideal, certa ou que maximize os resultados, mas busca soluções prudentes1 . Neste artigo, a partir de publicações 2,3,4,5,6, da observação e anotações em aulas e palestras, apresentamos, de maneira sintética, a proposta de Diego Gracia para a deliberação na Bioética Clínica. Uma proposta metódica que visa a evitar os exageros fundamentalistas ou pragmáticos na tomada de decisões morais, baseando-se, dentre outros, nos ensinamentos filosóficos de Aristóteles, Zubiri, Toulmin, Habermas, Scheler e Ricoeur”.

109. 2012-2013, VIDAL NUNES, Antonio. Projeto: A filosofia Latino-Americana: Possibilidade e Perspectiva. A contribuição de Xavier Zubiriana Filosofia da religião em nosso continente.

110. 2012-2013, _____________________. Vitória. Religação e religião no pensamento de Xavier Zubiri. 2013. Professor de Filosofia na UFES. I Fórum de Filosofia da Religião do Estado do Espírito Santo. I Forum de Filosofia da Religião do Estado do Espírito Santo.Religação e religião no pensamento de Xavier Zubiri. 2013. (Simpósio).

111. 2013. _________________________. V Congresso Brasileiro de Filosofia da Religião. O homem, deidade e Deus no pensamento de Xavier Zubiri. 2013. (Congresso).

112. 2013. _____________________. O homem, deidade e Deus no pensamento de Xavier Zubiri: uma reflexão inicial. 2013. Simpósio. V  Congresso Brasileiro de Filosofia da Religião.

113. 2013. _______________________. Projeto de Pesquisa: O Homem e a Religião.

114. 2013. SAVELLI, P. Batismo e Eucaristia. Os Sacramentos na Perspectiva da Deificação. São Paulo. Editora Palavra e Prece. P. 183. 

Descrição: Imagem de Batismo e eucaristia - pe. pedro savelli

 

“Deificação: no amor extático de Deus somos deificados para estarmos em comunhão com a Sua vida e natureza. A Perspectiva da Deificação abre três caminhos para o humano tomar consciência de participar da natureza divina: a) pelo caminho da Vida. Existimos somente pela bondade de Deus. Ele do nada, chama tudo à luz: a obra da Criação expressa a Vontade de Deus, tudo pertence a Ele e Dele recebe a deificação natural; b) pelo caminho da Revelação: o Povo de Israel soube interpretar a própria história como uma eleição particular de Deus, cuja finalidade é ser luz às nações: deificação pela obediência à escuta da Palavra de Deus. c) Pelo caminho da Graça: Encarnação e Glorificação de Cristo-Sacramento. Deus Pai, no mistério de sua doação à humanidade, convida-nos a participar de Sua natureza divina, transformados pelo Filho na força do Espírito Santo: revestindo-nos de Cristo pelo Batismo e alimentando-nos Dele pela Eucaristia: deificação sacramental. Em Cristo, Cabeça, a Igreja é Sacramento. Ela atualiza pelo Espírito a Graça deificante, celebrando a liturgia, em particular a Eucaristia: é neste último caminho que nos encontramos”.

115 2013. BELLO, J. S. (Trabalho/Conferência ou palestra). Filosofia da religião e religação. SYNESIS (ON LINE), v. 5, 85-99,

116. 2013. FERNÁNDEZ TEJADA, José e CHERIFF dos SANTOS, A. Tadeu. Anotações Críticas Sobre la esencia: Eliminando “a densa neblina” sobre a filosofia da Realidade.Revista Portuguesa de Filosofia. 69, f.1, 2013, 93-124.

117. 2013. FERNÁNDEZ TEJADA, José e CHERIFF dos SANTOS, Antonio TADEU. Curso de extensão do INCA. (15/11/2013). Dentro da preocupação de Tadeu realizamos uma palestra para os alunos de extensão do INCA: Humanização, Saúde Coletiva e Ciências Sociais: Contribuições, da Inteligência senciente de Xavier Zubiri.

118. 2013. ____________________________________________. Humanidades, Saúde Coletiva e Ciências Sociais: contribuição da Inteligência senciente em Xavier Zubiri. in VI Congresso de Ciências Sociais e de Saúde RJ. Anais, 188.

119. 2013. ___________________________________________.Epistemologia das Ciências Sociais, Saúde e Investigação Qualitativas, contribuição da Inteligência senciente em Xavier Zubiri.

120. 2013.CESCON, Everaldo. Religação e religião no pensamento de Xavier Zubiri. 2013.

121. 2013. SANTOS LAPA, Raphael. Brasília. O conceito descritivo do tempo em Xavier Zubiri. Monografia. 80 fs. Il. Bacharelado em filosofia, na Universidade de Brasília.

122. 2013. RIBEIRO TAVARES DA SILVA, Renata. Breve introdução ao pensamento zubiriano. Itaca (UFRJ). V.22, 23. 2013. Da relação entre filosofia e ciência: Questões de Zubiri à Heidegger. Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da FAFIUV.

123. 2013. ______________________. Zubiri e Heidegger. Simpósio de Filosofia e Ciências. 2013.

124. 2013. ______________________. Da relação entre filosofia e ciência: questões de Zubiri à Heidegger. Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da FAFIUV. 2013.

125. 2013. ______________________. Filosofia política e transformação: Zubiri e o século XX. Congresso de Filosofia da Unespar/fafiuv. 2013.

126. 2013. ______________________. Projeto de Pesquisa-2013-2015: A questão do corpo e da matéria na filosofia do século XX: contribuições de X. Zubiri à fenomenologia. Descrição: Zubiri pretendeu recuperar a ideia de realidade para a filosofia.

127 2013. BELLO, J. S. Os problemas fundamentais da filosofia zubiriana. Conhecimento e sociedade. 1ª ed. Rio de Janeiro-RJ: Editora Real Engenho, 2013, v. III, p. 61-87.

128. 2013. _________. Filosofia da religião no pensamento de Xavier Zubiri. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

129. 2013. CESCON, Everaldo. Religação e religião no pensamento de Xavier Zubiri. 2013. 96, 2013.

130. 2014. MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. Espírito Santo. Brasil. Crise e solução da vida intelectual contemporânea em X. Zubiri. In Cultura e Fé (Porto Alegre). 2014. V. 37, 293-310.

131. 2014. BELLO, J. S. Notas zubirianas à obra Eu e Tu de Martin Buber. Conhecimento e Sociedade IV: O movimento da vida na variação das ideias. 1ª ed. Rio de Janeiro-RJ: Editora Real Engenho, 2014, v., p. 13-51.

132. 2014. __________. Estado laico, religião e política. Gazeta do Povo, 11 dez. 2014.

133. 2015.RIBEIRO, Renata. Sobre o conhecimento da realidade: críticas de Zubiri a Husserl e Heidegger. IX Congresso Internacional de Filosofias: Ser e pensar. Guarapuava. Anais, 2015.

134. 2015.MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. Uma nova Filosofia, um novo Deus, um novo Homem em Zubiri. Apresentação trabalho e seminário. 2015. Parabéns Antonio Luiz pela tua perspicácia e choque dessa abertura na filosofia.

135. 2014. CESCON, Everaldo. Zubiri e sua crítica ao conceito aristotélico de natureza. Comité, 6, 2014.

136. 2014. ________________. Zubiri e sua crítica ao conceito aristotélico de natureza. Discussões, Filosóficas, v. 15, p. 117-130, 2014.

137. 2014. FERNÁNEZ TEJADA, José (RJ) e CHERUBIN, Felipe (SP). A tese da Trilogia da Realidade em X. Zubiri a partir de uma nova leitura de Sobre a essência. IV Congresso Internacional em Morelia, no México,). O tema norteador foi “Zubiri em El horizonte del siglo XXI”. O Congresso foi celebrado em Morelia, Michoacán, México. 2014.

138. 2014. A senhora Bete Abreu “zubiriana”. Assim, a chamávamos carinhosamente na suas reação profissional e humana. São Paulo. Brasil. Merece um destaque. Já falamos dela e escutamos seus e-mails dinâmicos nos Rios Voadores. Isso nos revelou a pessoa competente que ela é. Bete, nascida na Ilha da Madeira (Portugal), foi desde o primeiro momento a grande curadora de nosso projeto Xavier Zubiri. Seu profissionalismo de gerente foi surpreendente, eficiente e alegre. Foi a responsável de todos os contatos da editora É realizações conosco e com Espanha. Dedicada, sábia e amável. Já tinha saído da editora nesta data, mas ainda contagiada pelo nosso projeto nos pediu para fazer uma tarefa (peço “um pequeno favor”) por ela promovida, embora devia ser anônima. Isso pouco importava. Colaboramos juntos na Biografia de Xavier Zubiri para a Enciclopédia Barsa.jpq.

139.2014. Felipe Cherubin, Antonio T. Cheriff dos Santos e José Fernández Tejada. Curso on line: Introducción a la filosofia de X. Zubiri”. Concluído. Embora entramos com certo receio, foi uma grande experiência para entender melhor X. Zubiri. Por isso, foi muito prazeroso ao sermos orientados pelo inolvidável Carlos Pose e suas complementações às nossas respostas individuais a cada um dos 20 temas do curso. Ele nos ajudou a debruçar-nos nos caminhos que Zubiri percorreu suas inspirações e como chegou a suas ricas elaborações. As famosas querelas parece que nos avaliavam, entretanto foram nossos desafios de aprendizes. Porque através delas nos surpreendíamos vivendo as aventuras de aprendizes para tentar alcançar o mestre Zubiri.

140. 2014. ANGOTTI NETO, Hélio. Médico. Unesc –Colatina. ES. Brasil. Abordagem crítica filosófica, científica e pragmática ao abortamento pós-nascimento. Hélio Angotti Neto. (helioangotti@gmail. com). Texto apresentado no X Congresso de Bioética em Florianópolis, Santa Catariana.

141. 2014. FERNÁNDEZ TEJADA, José e CHERIFF dos SANTOS, Antonio Tadeu. Pesquisa Qualitativa em Oncologia: contribuições da “inteligência senciente” de Xavier Zubiri (1898-1983).

142. 2014. Philibert Secretan. Introdução ao pensamento de Xavier Zubiri. Philibert Secretan. Tradução de Luis Paulo Rounaet. É realizações. 2014.

Descrição: https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/41NXoRzyPEL._SX274_BO1,204,203,200_.jpg”Aproximar-se da obra de um grande filósofo é sempre problemático. Se de um lado tememos não estar à altura de seus escritos, de outro optar por um atalho e limitar-se a ler apenas seus comentadores é uma forma de autoengano. Há, no entanto, uma alternativa: aqueles comentadores que com sua exposição não pretendem que o leitor prescinda da leitura da obra filosófica propriamente dita, mas antes apresentam suas linhas mestras a fim de ajudar o leitor a situar-se em meio aos diferentes temas e problemas com que o filósofo depara. Eis o objetivo deste livro. Encontram-se aqui seis ensaios: o primeiro deles, de Diego Gracia, trata sucintamente de aspectos biográficos de Zubiri e identifica três fases em sua obra (fenomenológica, ontológica e metafísica); o segundo, de Ignácio Ellacuria, apresenta um panorama da obra zubiriana e as escolas de pensamento com que Zubiri dialoga; o terceiro, de A. Robert Caponigri, é uma exposição de Sobre a Essência, obra que representa um passo decisivo no pensamento zubiriano; no quarto, Antonio Ferraz Fayos apresenta a Trilogia sobre a Inteligência; no quinto ensaio, Antonio Pintor-Ramos fala sobre a filosofia da religião. O último ensaio, assinado pelo próprio Zubiri, é uma nota sobre a filosofia da religião, mas sua presença aqui serve, também, como ilustração de seu modo de pensar e de expor sua doutrina.
Que esta Introdução cumpra seu papel e permita que o leitor se aproxime da obra de Xavier Zubiri sem temor, mas também sem ligeireza”.

143. 2014. CESCON, Everaldo. Caxias do Sul. “Zubiri e sua crítica ao conceito aristotélico de Natureza”. In Dimensiones Filosofia. Ano 15. N° 24. 115-128. 2014.

144. 2014. BELLO, Joathas. Notas zubirianas à obra Eu e Tu de Martin Buber. In Conhecimento e Sociedade IV: O movimento da vida na variação das ideias. 1ª ed. Rio de Janeiro – RJ: Editora Real Engenho, 2014, v. 13-51.

145. 2014. ____________. A religação do homem a Deus em Xavier Zubiri e Tomás de Aquino. Coletânea (Rio de Janeiro), v. XII, 234-252, 2014.

146. 2014. MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. Espírito Santo. Brasil. Crise e solução da vida intelectual contemporânea em X. Zubiri. In Cultura e Fé (Porto Alegre). 2014. V. 37, 293-310.

147. 2014-2015. LEAL DE MATTOS, Frei Alan, ofm. TCC-FAE. Curitiba. A intelecção da realidade Deus enquanto fundamento da existência humana na metafísica de Xavier Zubiri.

148. 2015. M. SOARES, André Marcelo. Religação e estruturas psíquicas. In: André Marcelo M. Soares. (Org.). Outro ângulo: Reflexões acerca do humano. 1ª ed. Rio de Janeiro: Public. Soluções Editoriais, 2015, v. 1, p. 55-74.

149. 2015. MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. Um novo Homem em Zubiri. Apresentação trabalho e seminário. 2015.

150. 2015. BELLO, J. S. A espiritualidade nos domínios da razão tecno-científica. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
 151. 2015. _________. Religação e estruturas psíquicas. Capítulo do livro:VVAA. Outro ângulo: Reflexões acerca do humano. Org. André Marcelo M. Soares. Rio de Janeiro: Publit, 2015, pp. 55-74.

152. 2015. ________. Finitude e transcendência do homem. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

153. 2015. CESCON, Everaldo. O conhecimento e a experiência de Deus, como final da vida : perspectiva aberta por Xavier Zubiri. 2015. Brasília. In Espiritualidade no mundo moderno. VI Congresso Brasileiro de Filosofia.

154. 2015. BELLO. J. S. (Trabalho/Conferência ou palestra). ‘Deiformidade’ e graça na teologia de Xavier Zubiri. Synesis (on line), v. 6, 66-82, 2015.

155. 2015. __________. Tiene sentido la crítica de Gustavo Bueno al concepto zubiriano de religación?. The Xavier Zubiri Review, v. 13, 77-86, 2015.

156. 2015. __________. Encontramos três vídeos esclarecedores no Youtube do minicurso que deu na paróquia São Judas Tadeu de Niterói com o título Introdução ao problema filosófico de Deus em 2015.

157. 2015. BELO, J. S. Religação e estruturas psíquicas. Capítulo do livro: VVAA. Outro ângulo: Reflexões acerca do humano. Org. André Marcelo M. Soares. Rio de Janeiro: Publit, 2015, pp. 55-74.

158. 2015. MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. Uma nova Filosofia, um novo Deus, um novo Homem em Zubiri. Apresentação trabalho e seminário. 2015. Parabéns Antonio pela tua perspicácia e choque dessa abertura na filosofia de Zubiri: real e senciente em nossas vidas.

159. 2015. ASSIS de, Jean Felipe. UFRJ. Em 20015 Jeam defendeu a tese: O Maravilhamento, O Vero, O Belo E O Bom: Um Estudo Fenomenológico do Espaço no Mundo da Vida Contemporâneo. Rio de Janeiro, 2015. Tese (Doutorado em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia) – Programa de Pós-Graduação em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, iniciando em 2013.

160. 2015. RIBEIRO, Renata. Sobre o conhecimento da realidade: críticas de Zubiri a Husserl e Heidegger. IX Congresso Internacional de Filosofias: Ser e pensar. Guarapuava. Anais, 2015.

161. 216. _______________. Uma filosofia do real depois de Heidegger: o caminho fenomenológico de X. Zubiri. Tese. UFRJ. Orientadores: Raúl Gabás Pallás (Barcelona) e Franklin Trein (UFRJ).2015.

162. 2016._______________. Uma filosofia do real depois de Heidegger: o caminho fenomenológico de X. Zubiri 1e ed. Saarbrüken, Nova Editora Acadêmica. 2016. V. 1, 175 ps.

Descrição: https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/41BBdqt5JJL._SX339_BO1,204,203,200_.jpg

“Talvez o mérito mais inegável da filosofia seja o de levar aos limites a compreensão humana. Não apenas nos momentos onde força e alarga estes limites, mas também naqueles em que se depara com pontos finais. Pontos realmente finais que lançam o silêncio sobre novas tentativas. A filosofia de Zubiri certamente é um destes momentos. Ela se situa um segundo antes do ponto final dado por Husserl à possibilidade do conhecimento de uma realidade em si pela consciência humana. Teima com ele que o silêncio não pode cobrir tudo. Que a necessidade de realmente estar na matéria e falar desde e sobre ela não são coisas que possam ser caladas”.

163. 2016. LUIZ, Eduardo. Vídeo Youtube. Diálogo entre X. Zubiri e Martin Heidegger de José Fernández Tejada do lançamento da Trilogia senciente em São Paulo. Eduardo Luiz copiou esse vídeo e nós escutamos em 12/02/2016

164. 2016. BELLO, J. S. Verdade e História: Entre o não esquecimento da promessa e a ingratidão prometeica. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

165. 2016. RIBEIRA, Renata. Uma filosofia do real depois de Heidegger: o caminho fenomenológico de X. Zubiri. Tese. UFRJ. Orientadores: Raúl Gabás Pallás (Barcelona) e Franklin Trein (UFRJ). Livro: 1ed. Saarbrüken, Nova Editora Acadêmica. 2016. V. 1, 175 ps.

166. 2016. 2016. MIGUEZ DA SILVA, Giovani. Rio de Janeiro. Brasil. Dissertação de mestrado. “As relações entre informação, linguagem e símbolo: A Filosofia da Ciência da Informação entre a realidade e idealidade / GIOVANI Miguez da Silva. — Rio de Janeiro, 2016. 120 f. Orientador: Gustavo Silva Saldanha. Co-orientador: Antonio Tadeu Cheriff dos Santos. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Comunicação, Rio de Janeiro, 2016.

167. 2016. CESCON, Everaldo. (Orga.), Ética e Subjetividade. V. I. Editora Vozes, Petrópolis, 2016, e ainda assina o capítulo II. A dimensão da moral como estrutura de possibilidades em X. Zubiri, 222-234.
Descrição: Ética e subjetividade

168. 2016. SANTOS COSTA, Valeriano. PUC-SP. Valeriano propôs Projetos de pesquisa: Liturgia e inteligência senciente.

169. 2016: FERNÁNDEZ TEJADA, José e CHERUBIN, Felipe. O que é a inteligência? A filosofia da realidade em X. Zubiri. Prefácio de Diego Gracia e Apresentação Carlos Posse. Lumen Juris, RJ. 2016.

Descrição: https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/516xrWDpmiL._SX346_BO1,204,203,200_.jpg

 “O filósofo Xavier Zubiri iniciou uma revolução no pensamento filosófico, que pouco a pouco vai ganhando adeptos e difundindo-se em Universidades e Centros de pesquisa filosófica em distintas partes do mundo. O presente volume é uma boa prova dos muitos anos de dedicação dos autores ao estudo da filosofia zubiriana, e também, uma mostra evidente da fecundidade do pensamento de Zubiri, assim como do muito que pode oferecer às culturas de nossos povos”. – Diego Gracia, Presidente de la Fundación Xavier Zubiri de Madrid. Emérito Professor de História de Medicina e Bioética da Escola de Medicina da Universidade Complutense. Acadêmico da Real Academia Nacional de Medicina, e da Real Academia de Ciências Morais e Políticas

,

“O presente livro permitirá fazer uma avaliação do conjunto da obra de Xavier Zubiri (…). Felicito aos pesquisadores brasileiros José Fernández Tejada e Felipe Cherubin. Este trabalho ajudará a muitos leitores de língua portuguesa a adentrar-se pelo caminho reto no pensamento zubiriano, o que os facilitará a dar um passo definitivo para a leitura dos próprios textos do filósofo”. -Carlos Alberto Pose Varela, Doutor em Filosofia pela Universidade Pontifícia de Salamanca e Mestre em Bioética pela Universidade Complutense de Madrid. É professor de filosofia no Instituto Teológico Compostelano (Universidade Pontificia de Salamanca).

“Xavier Zubiri ( 1898-1983) nos legou uma obra tão densa quanto seus interlocutores, Einstein, Husserl e Heidegger”.  (Jornal A Folha de S. Paulo -Guia da Folha)

“De 1928 a 1931, já como professor catedrático em Madri, Zubiri realizou uma série de

Viagens a fim de estudar com os mais destacados professores da época. Sua peregrinação provavelmente não se têm paralelo n século XX” (Jornal O Estado de São Paulo)

Avaliação especial de compra na Amazon. 6 de mio de 2018.

 “Demorei muito para conseguir engatar nessa leitura. Denso, pesado, começava e parava… até que me preparei e fui além da densidade à realidade libertadora! Uma obra que requer atrevimento e coragem que eu não sabia que já tinha. Felipe Cherubin e José Fernández Tejada muiiiito obrigada!”

170. 2016. LEAL de MATTOS, Alan e PONCHIROLLI, Osmar. FAE. Centro Universitário. “A intelecção da realidade Deus enquanto fundamento da existência humana em Xavier Zubiri”. In Kalagatos, vol. 13, no. 25, p. 19-43. UFCE.

171. 2016. CANDEIAS MARTINS, Ernesto. UFPR. Corporeidade na aprendizagem escolar: Merleau-Ponty e Zubiri. In Educar Revista, Curitiba. Brasil, n°56,163180.

172. 2016. SANTOS LAPA, Raphael. Brasília. Participou no ANPOF de 2016 com a apresentação: Por uma filosofia do estar. Uma análise comparativa entre Rodolfo Kusch e Xavier Zubiri

173. 2016. CAMILLO, Alex. Beleza e liturgia. in Salvem a liturgia.

174. 2016. BELLO, J. S. Conhecimento e realidade em Santo Tomás e Xavier Zubiri. Synesis (on line), v. 8, 96-117, 2016.

175. 2016. ______________. O moral e o teologal: Felicidade e religação em Xavier Zubiri e Tomás de Aquino. TRILHAS FILOSÓFICAS (ONLINE). v. 9, 9, 2016.

176. 2017. ___________. Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro: De Anselmo a Zubiri ou: De um Deus evidente à inevidência do próprio “problema de Deus” XVI Encontro Nacional da ANPOF 2017.

177. 2017. ___________. O que é ser ‘pessoa’. Gazeta do Povo, 03 jul. 2017.

178. 2017. ___________. As fontes espirituais da angústia e da esperança” (Xavier Zubiri). Tradução de trechos do Apêndice do livro: ZUBIRI. Sobre el sentimiento y la volición. Madrid: Alianza Editorial/Fundación Xavier Zubiri, 1992, pp. 395-405.

179. 2017. __________. Nota sobre o panenteísmo de Mário Ferreira dos Santos. Comentários a partir de MFS. Filosofia concreta. São Paulo: É Realizações, 2009: “Alguma coisa há” é o princípio (o “ponto arquimédico”) que inicia o filosofar de MFS (Tese 1) em sua “Filosofia concreta”.

180. 2017. CHERIFF dos SANTOS, A. Tadeu e MIGUEZ, Giovani. A ciência da Informação enquanto ciência social interdisciplinar: as contribuições de Zubiri e Bourdieu. in Ciência da Informação encontra Pierre Bourdieu. Elaine Rosangela de Oliveira Lucas e Murilo Artur Araújo das Silva. (orgs.). Editora UFPE. 2017. pp. 439-454.

181. 2017. VASQUES D CUNHA, Martins. Resenhada Trilogia senciente. A resistência secreta de Xavier Zubiri. in O Estado de São Paulo Caderno 2/c7. 12/04/2017.

182. 2017. COSTA, Valeriano. Inteligência senciente e liturgia. Rev. de Cultura Teológica. V. 90, p 209-233.

183. 2017. _______________.Teologia da América Latina: Inteligência senciente e liturgia. Simpósio.

184. 2017. _______________. A música litúrgica no cenário atual da realidade litúrgica: análise a partir da Inteligência senciente de X. Zubiri.

185. 2017. RIBEIRO, Renata. A filosofia a ser ensinada: pensamento e filosofia em Xavier Zubiri. UNESPAR. Ensino & Pesquisa, 2017, v. 15, n. 3. P.7-17. 

186. 2017. VIDAL NUNES, Antonio .(UFES) A via da religação como caminho para se chegar a Deus: a contribuição de Xavier Zubiri. XVI Encontro Nacional da ANPOF 2017

187. 2017. AQUINO JUNIOR de, Francisco. Abordagens filosóficas sobre Deus. In Teocomunicação. Porto Alegre. V. 47, n°2, p,. 111-124. Trabalha na Universidade Católica de Pernambuco. Tem colaborado com seus textos e livros sempre pontuando a teoria e prática da filosofia da libertação desde 2003 (in Os filósofos modernos).

188 2017. LISBOA, André. Maranhão. Brasil. Professor de filosofia na Universidade Federal de Maranhão (UFM) e da Universidade Estadual de Maranhão (Uema). Criou e dirige Escola de Filosofia. O curso é transmitido no PodCast da Escola de Filosofia, que vai ao ar toda a quinta-feira. Pode ser acompanhado no YouTube, CastBox e Spreaker. Constam dois trabalhos sobre Zubiri: Sobre ciência, vida intelectual e caos. e A metafísica e a investigação da realidade (2017) http://escolade filosofia. org.

189. 2017. AQUINO JUNIOR de, Francisco. PUC-Fortaleza. Abordagens filosóficas sobre Deus. In Pluralismos: da religião e do discurso sobre Deus. V. 47, n° 2. 2017. Encontramos vários autores brasileiros que se debruçam nessa problemática, já tratada no primeiro livro de Zubiri Natureza, História, Deus de 1944.

190. 2017. RIBEIRO, Renata. A filosofia a ser ensinada: pensamento e filosofia em Xavier Zubiri. UNESPAR. Ensino & Pesquisa,2017, v. 15, n. 3.  

191. 2017. _____________. “Projeto de Pesquisa-2013-2015: A questão do corpo e da matéria na filosofia do século XX: contribuições de X. Zubiri à fenomenologia. Descrição: Zubiri pretendeu recuperar a ideia de realidade para a filosofia.

192. 2017. MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. O problema de Deus na perspectiva de X. Zubiri: sobre a experiência, a revelação e o mal”. TCC. Orientador: Antonio Vidal Nunes. 2017.

193. 2017. CESCON, Everaldo. Ética e subjetividade. Editora Vozes. Amazon, Kindle.

Descrição: Ética e subjetividade

194. 2017. BELLO, J. S. As Cinco Vias e a Religação. @prof.jathasbello.

195. 2018. MIGUEZ DA SILVA, Giovani. Rio de Janeiro. Xavier Zubiri. Vídeo (12/91/2018) inaugural do seu curso de filosofia de 2018. Youtube.

196. 2018. MATTOS DE SOUZA CARDOSO, A. Luiz. A crise da razão e o problema de Deus. Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES. Patrícia Torres de Souza Cardoso. Instituto Federal do Espírito Santo, Ibatiba-ES. Felipe Alexandre Lima Fernandes dos Santos. Instituto Federal do Espírito Santo Ibatiba-ES. In Impactos das Técnicas nas Ciências Humanas. Antonella Carvalho de Oliveira (organizadora), Editora Atenea, v.5, 2018. Cap. II 15-25. É interessante ressaltar que os autores mergulharam nos estudos sobre Zubiri realizados em língua portuguesa do Brasil e Portugal. Vale a pena conferir:

BAYLOS, F. S. Esquemas de Filosofia Zubiriana – Filosofia de Deus. Apostilas. Seminário Missionário Arquidiocesano “Redemptoris Mater”, Brasília, 2003. Disponível em: Acesso em: 15 abr. 2017. BELLO, J. S. Deus, experiência do homem em Xavier Zubiri. 2005. 108 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2005. Disponível em: Acesso em: 08 jun. 2017.  GONÇALVES, J. M. F. A Via da Religação no Pensamento de Xavier Zubiri. In: Revista Filosófica de Coimbra. Vol. 6, Nº 12 (1997). Disponível em: Acesso em: 05 abr. 2017. NUNES, A. V. O Homem, deidade e Deus no pensamento de Xavier Zubiri: uma reflexão inicial. In: Sofia, Vol. 2, Nº 2, dez. 2013. Disponível em: Acesso em: 12 maio TEIXEIRA, J. A. P. A finitude do infinito. O itinerário teologal do homem e Xavier Zubiri. Lisboa: Universidade Católica, 2017. TEJADA, J. F. A Ética segundo Zubiri. Problemas e Teorias da Ética Contemporânea. José Maurício de Carvalho (org.). Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. ZUBIRI, X. El Hombre y Dios. 1984. Disponível em: Acesso em: 20 abr. 2017. ZUBIRI, X. O Problema Teologal do Homem. OLIVEIRA, Manfredo e ALMEIDA, Custodio. (orgs.). O Deus dos Filósofos Modernos. Petrópolis: Editora Vozes, 2002. ZUBIRI, X. Inteligência e Realidade. São Paulo: É Realizações Editora, 2011).Zubiri sobre a ambiguidade e a dúvida como modo de atualização da realidade e intenção afirmativa, respectivamente.

197. 2017. CHERUBIN, Felipe. Resenha da Trilogia da Inteligência Senciente: Inteligência e Razão (Volume III). Avaliado no Brasil em 15 de fevereiro de 2017.

“A principal obra do filósofo Xavier Zubiri “A Trilogia da Inteligência Senciente”, publicada em vida, é um tratado detalhado sobre o que Zubiri entendia pelo termo “Inteligência”.

Para Zubiri, os homens, diferentemente dos animais são providos de três modos de intelecção. Esses “modos” não são atos independentes, isto é, acontecem de forma “misturada” embora sejam distintos e o mais importante: um supõe o anterior. O primeiro modo Zubiri chama de “apreensão primordial da realidade” (Tema do primeiro volume da trilogia) que é, então, seguido do modo “Logos”(Tema do II Volume) e Razão”(Tema do III volume).

O que difere cada modo, portanto, são as formas como eles permanecem no presente (ou realidade), isto é, um modo pode ser mais permanente o outro mais fugaz etc. A “apreensão primordial da realidade” é o modo primeiro e fundamental e, portanto, poderíamos dizer, grosso modo, que esse modo seria a base persistente e os outros modos que também são “apreensão intelectiva” e, consequentemente, também são “inteligência senciente” seriam modos mais “voláteis” ou “fugazes”.

Zubiri explica que esses modos ulteriores, ou seja, o Logos e a Razão são necessários já que existe uma deficiência da intelecção senciente da realidade. Em outras palavras, se fossemos “portadores” de uma intelecção plena e completa da realidade o conhecimento se tornaria descartável. E como o conhecimento não é dispensável Zubiri nos explica nos três volumes como tudo se “conecta” e ele faz isso passo a passo. O livro tem uma forma didática, pois nasceu fruto dos cursos que Zubiri lecionava.

Por fim, Zubiri afirma que a intelecção é senciente porque “a) tem um objeto não só primário e adequado, mas também um objeto formal próprio: a realidade. b) Este objeto formal não é dado pelos sentidos à inteligência; é dado pelos sentidos na inteligência. c) O ato formal próprio do inteligir não é conceber e julgar, mas “apreender” seu objeto: a realidade. d) O apreendido em impressão, isto é o apreendido sencientemente o é em impressão de realidade. Em razão disso, não há senão um só ato: a apreensão senciente do real como real “ (IRE 57-58).

198. 2017. REIKDAL LIMA, Bruno. A vida humana e seu modo de realidade: corporalidade em comunidade. In Natureza Humana, Vol. 19, no. 2. SP 2017.

199. 2018. _______________. Sobre o humano, a irracionalidade de sua ação racional e seu sistema suicida [RASCUNHO].pdf in Academia.

200. 2018. DETTMANN, José Octávio. Zubiri sobre a ambiguidade e a dúvida como modo de atualização da realidade e intenção afirmativa, respectivamente. In blogjoséoctaviodettmann blogospot.

201. 2018. SALGADO, Daniel. Revista Época. “O Boom Editorial conservador puxado por O. de Carvalho”. In Época, 31?11/ 2018. Entre outros filósofos enumera a X. Zubiri, como já traduzido ao português.

202. 2018. 2018. SIERRA LECHUGA, Carlos. Chile e professor na Fundação X. Zubiri de Madri. Esteve em 2018 na PUC de Rio de Janeiro. Não tivemos contato.

203. 2018. BELLO, J. S. Religação e Participação: Criação, História, Transcendência. 1ª. ed. Novas Edições Acadêmicas, 2018. v. 1. 326 pp.

Descrição: https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/4190hMtn8VL._SX334_BO1,204,203,200_.jpg

“O presente livro é uma coletânea de textos derivados da minha tese doutoral sobre “o problema filosófico de Deus” no filósofo espanhol Xavier Zubiri, e de outras reflexões posteriores. Dirige-se a estudiosos de filosofia, especialmente interessados em metafísica e antropologia filosófica. Resume-o o seguinte trecho: “O ser humano, por possuir inteligência […] transcende a natureza material, e por possuir liberdade, que é a capacidade de eleger entre possibilidades reais abertas pela inteligência, transcende a si mesmo, em direção à plena realização de suas potencialidades […]. Ao se apreender como sua própria realidade, o homem é ‘pessoa’, realidade de certo modo absoluta, ‘sua’, porém em face da realidade, à qual está religado. Assim, a realidade é um ‘poder’ que, em última instância, está fundamentado na Realidade Absolutamente Absoluta, Deus. Como realidades relativamente absolutas, isto é, pessoas finitas, somos imagens de Deus, somos deiformes, somos um modo finito de ser Deus. Deste modo, somos ‘capazes’ de receber a doação divina, que é a graça; podemos participar da Vida e do Amor eternos de Deus, podemos transcender a própria morte, a própria finitude”.

204. 2018._________. Apresenta Zubiri na XVI Semana de Filosofia da UFES: História e religião no pensamento contemporâneo: a contribuição de Xavier Zubiri.    

205. 2018. SANTOS COSTA, Valeriano e GRENZER, M.. PUC-SP. Seminário de pesquisas avançadas: sentir e inteligir senciente em busca de uma compreensão adequada da realidade da fé.  Seminário de Pesquisas avançadas.

206. 2018. ____________________. Publicou: “Estrutura dinâmica da liturgia: uma abordagem na perspectiva do realismo de Xavier Zubiri”. ?

207. 2018. BELLO, J. S. As raízes filosóficas da Modernidade no Baixo Medievo. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

208. 2018. __________. As provas da existência de Deus na Idade Média (mini-curso). 2018. (Apresentação de Trabalho).

209. 2018. BEZERRA, João José. A estrutura dinâmica da Liturgia à luz do realismo zubiriano e do n° 9 da Retemptionis. Tese de doutorado. Início PUC-SP.

210. 2018. NUNES, Vidal. XVI Semana de Filosofia da UFES: História e religião no pensamento contemporâneo: a contribuição de Xavier Zubiri.

211. 2018. VIERA das NEVES, Marcos. A realidade sacramental da liturgia à luz do realismo zubiriano: análise da atualidade de Cristo, de sua morte e ressurreição na celebração dos sacramentos e da vida. Tese de doutorado PUC-SP.

212. 2019. FERNANDES, Marcelo. Fator Leonardo: Ação criativa mais primordial. Editora Ideario e Amazon kindle , 2019. 410 pp. “Muito boa a conversa, escreveu Marcelo ao se deparar com o vídeo de Filosofia Ser e pensar sobre Zubiri,. Principalmente a parte final do segundo vídeo. Passei alguns anos estudando Xavier Zubiri e escrevi um livro sobre Criatividade e Inventividade baseado na teoria da inteligência senciente. O nome do livro é Fator Leonardo: Ação Criativa mais primordial. Fazia algum tempo que estava procurando vídeos do Prof. José Fernández Tejada falando de Zubiri e finalmente encontrei. Obrigado pela postagem” (em 1/5,2021, Filosofia ser e pensar).

Fator Leonardo: Ação criativa mais primordial por [Marcelo Fernandes, Marcus Garcia de Almeida]

“O livro traz um dos temas de maior interesse do público atual. Trata da criatividade e dos meios pelos quais conseguimos desenvolvê-la e trazê-la mais presente em nossas vidas. A junção da dimensão imaginativa com a criativa nos traz a possibilidade de lidarmos com a complexidade da vida por meio de nossa inventividade – mais viva porque toca nossa originalidade. Essa capacidade é a chave para entendermos como o ser humano cresce e pode transcender junto às novas realidades – mais realizadoras, mais plenas de sentido e vida. Manter-se aprisionado junto a um mundo que quer a todo tempo inibir nossas potências criativas é permanecer muito aquém do que poderíamos vir a ser, por que no fundo, o que se teme, é tudo que pertença ao universo particular do indivíduo com sua forma bastante particular de ser, de se expressar e viver.

O Fator Leonardo, conceito criado pelo autor nesta obra, explica por meio de histórias instigantes e reais, que atravessa a história das descobertas e dos inventos, de que maneira a imaginação concorre para a dinamização de nossa criatividade em contextos muito particulares. Trata-se, pois de conhecimento essencial para nossa época, pois lida com a complexidade da vida em sua vertente mais essencial – que diz respeito a tudo que toca a originalidade latente nos indivíduos, de todas as épocas, de qualquer época.

Envolve também o desafio de irmos em frente, aceitando e desenvolvendo nossa parcela criativa individual justamente numa época que nos exige cada vez mais de nossa dimensão criativa; que envolve não só o universo empresarial, mas o dos papéis que desempenhamos, das relações humanas e as formas como podemos criar inventivamente um nosso próprio destino. Essa mescla entre o hoje e o aprendizado dos grandes gênios é um dos achados do livro. Voltamos ao passado justamente para lançarmos luz na direção de um futuro mais vibrante e realizador.

Por conta disso, acreditamos que a obra poderá se transformar num fenômeno editorial uma vez que o livro instiga, faz despertar e é em si mesmo um poderoso instrumento de desenvolvimento da imaginação – uma vez que foi desenvolvido como um caminho para o aprimoramento da criatividade e da imaginação, observando um método próprio desenvolvido e trabalhado pelo autor.

A partir da história de grandes gênios da humanidade, tais como Leonardo Da Vinci, Botticelli, Verrocchio, Schubert, Tesla, Einstein, Beethoven, Ernest Hemingway, James Joyce e Shakespeare, o leitor tem condições de refletir sua própria vida e agir segundo uma inclinação criativa singular uma vez que essas histórias são fontes de inspiração, pois, um a um, vão trazendo exemplos vivos de como aprimorar o papel fundante da imaginação inventiva, uma vez que fica claro como as grandes obras de arte, inventos e novas descobertas científicas puderam se transformar em realidade. Assim, podemos entender completamente o instinto que nos leva até as descobertas e que trouxeram mudanças irreversíveis para o mundo, assim como queremos que o faça o leitor frente a sua própria capacidade inventiva.

Cada capítulo também traz teses inovadoras sobre os grandes gênios, onde se destacam novas interpretações sobre a Renascença Italiana, os inventos de Nikola Tesla, a evolução da música em Beethoven, a trajetória de Shakespeare e o que promoveu a revolução na arte moderna. Pela amplitude de conteúdos, experiências e conhecimentos do autor, essa obra deverá transformar sua forma de olhar para seu próprio potencial criativo.

Fator Leonardo: Ação criativa mais primordial, em breve disponível em audiolivro”.

213. 2019. SANTOS COSTA, Valeriano. Catecumenato del Ritual de Iniciación Cristiana (RICA): un ejemplo de Inteligencia Sentiente. In Theogógica Xaveriana v. 69, n°188, 2019. Bogotá.               

214. 2019. _______________________. V Congresso Internacional Xavier Zubiri. Pensar a Teologia no horizonte de Xavier Zubiri. Bali. Itália.

215. 2019. ______________________. Cathecumenate of the Rite of Cristian Initiation: nan exemple of Sentient Intelignce. Teologia Xaveriana. V. 188, p. 1-23.

216. 2019. MATIAS, Vitor. Contra os Acadêmicos. A fenomenologia em X. Zubiri. Jesus Conill. Tradução de Vitor Matias. In Contra os Acadêmicos 2019 (consultado 8 de fev. de 2020).

217. 2019. VIERA DE NEVES, Marcos. PUC. SP. Marcos iniciou seu doutorado com Valeriano Santos com a preocupação: “A realidade sacramental da liturgia à luz do realismo zubiriano. Análise da atualidade de Cristo, sua morte e ressurreição na celebração dos sacramentos e da vida.

218. 2019. BELLO, Joathas. Análise da obra de Xavier Zubiri: Elhombre e Dios. Casa da Cultura. Formção Permanente

219. 2019. REALE, Gionavi. Contra os Acadêmicos. Lista de leitura ordenada de X. Zubiri. In Contra os Acadêmicos. (consultado em 7 de fev. de 2020)2019. 2019. Ricardo Rovervan, Gabriel Gusso, Isdaak. Lazaro Marcelo. Vida e obra de X. Zubiri. (19/11/2019).

220. 2019. BELLO. J. S. Deus e o Mundo. Editora VIV, Rio de Janeiro, 2019.

Descrição: https://editoraviv.com.br/wp-content/uploads/2019/05/Capa_Deus-e-o-Mundo-FRENTE-416x598.png

Deus e o Mundo, lançamento do Professor e Filósofo Joathas Bello, reúne alguns artigos acadêmicos em que o autor desenvolve um diálogo entre Xavier Zubiri e São Tomás de Aquino, além de alguns ensaios de história da filosofia –  sendo um inédito sobre Descartes, teologia, metafísica e teoria do conhecimento. O tema de fundo, que dá unidade ao livro, é o da Religação / Participação.

221. 2019. SANTOS dos, Diego Willian. PUC. SP. Sentir e inteligir na catequese. A transmissão da fé na interface com Xavier Zubiri. Pesquisas em Teologia, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 23-33, july 2019. ISSN 2595-9409. Disponível em: <http://periodicos.puc-rio.br/index.php/pesquisasemteologia/article/view/841>. Acesso em: 12 nov. 2019. Fez o mestrado na PUC-SP em 2019.

222. 2019. ARNOSO SANTOS, Rodrigo José. “O silêncio como realidade-sacramental: análise no horizonte da metafísica zubiriana”. Seu orientador é Valeriano dos Santos Costa. Mas não conseguimos confirmar esta informação. Esperamos seus caminhos próprios zubirianos.

223. 2019. CHAVES DE SOUZA, Vitor. Universidade Metodista de São Paulo, Brasil. Deus senciente: o lugar de Xavier Zubiri na filosofia da religião. In: II Congresso Internacional de Fenomenologia e Psicologia (CIF&P) e o IV Congresso Brasileiro de Psicologia e Fenomenologia, 2019, Curitiba. Anais do Congresso Brasileiro de Psicologia & Fenomenologia, 2019. v. 1. 272-272. Dissertação.

224. 2019. ____________________. Projeto: Grupo de Pesquisa HermeneiaFilosofia Hermenêutica da Religião.

225. 2019. SILVA BERBARDES DA, Matheus. PUC-SP. “Contextualização fenomenológica da realidade. Novo impulso à reforma litúrgica no Brasil à luz do Papa Francisco”. In Caderno de conteúdos. N° 33, 2019. Mosteiro de Itaiçi. Indautuba. SP.

226 2020. SANTOS TEIXEIRA dos, Deivid Rodrigo. A música litúrgica no cenário atual da realidade litúrgica: análise a partir da Inteligência senciente de Xavier Zubiri. Dissertação de Mestrado.

227. 2020. CESCON, E.. O problema do homem implantado no ser como pessoa segundo Xavier Zubiri. In: CESCON, E.; VARGAS GUILLÉN, G.. (Org.). ÉTICA E CORPOREIDADE EM PE7SPECTIVA FENOMENOLÓGICA. 1e. ed.Curitiba: CRV, 2020, v. 1, p. 133-154.

228 2020. BELLO, J. S. O moral o teologal filosófica.

229. 2020. ________. Xavier Zubiri e Dietrich von Hildebtaang: denomenologia e metafísica. FAETEC. Congresso Virtual de Filosofia e teologia da UNICATÓLICA. QUIXADA. CE.

230. 2020. DIAS DE SOUZA, Vinicius. “A neologia de Xavier Zubiri: para além de Kant”. In Contra os Acadêmicos. Consultado em 20 de janeiro de 2020.

231. 2020. BELLO, T. S. Seminário Permanente de Formação (coord.),  Análise da obra “El hombre y Dios” de X. Zubiri, 11/12 /2020.

232. 2020. SANTOS TAVARES dos, Deivid Rodrigo . “A mística litúrgica no cenário atual da realidade litúrgica: análise a partir de Inteligência Senciente de Xavier Zubiri”. PUC-SP. Tese de doutorado. Orientador Valeriano Santos Costa.

233. 2020. Ronald Cuentas Aguirre. Peru e Roma. “El tema que me interesa es el morir. El sentido del morir. No de la muerte en cuanto tal. Del proceso del morir y del viver”. Sintonizamos. uma rede com Paulo de Matos (reitor atual de Redemptoris Mater– Brasília) e Xavi Sales Rufi de Barcelona (encarregado atual dos estudos de filosofia da Facultade de Teologia R(edemptoris) M(ater) Juan Pablo II de Lima Peru). Na cadeia de forma casual me pediram para ajudar Ronald a possibilitar a tese de doutorado em Filosofia na Universidade Urbaniana de Roma. Uma experiência em construção.

234. 2020. SOUZA de, Sergio Claudio. PUC-SP. Sentir e inteligir no anúncio do evangelho. In Pesquisas em Teologia. V. 3 n° 5. 190-208.

235. 2020. SOUZA de, Sergio Claudio: A numismática bíblica na perspectiva zubiriana. In Lumem et virtus. Revista, Interdisciplinar de cultura e Imagem. V. XI, n° 28, 2020.

236. 2020. SANTOS COSTA dos, Valeriano e SANTOS TAVARES dos, Deivid Rodrigo.. A realidade humana no canto litúrgico pós Medellín no horizonte da metafisica zubiriana. in Caminhos, Goiânia. V. 18, n° 2, 435-450. 2020.

237. 2020. VIERA das NEVES, Marcos, BERNARDES, MATHEUS. S. e SANTOS COSTA dos Valeriano. (Orgs.) XAVIER ZUBIRI: INTEERFACE. Editora Ideias & Letras. 2020. SP.

“As consequências das afirmações de Xavier Zubiri são incalculáveis: desde a superação da logificação da realidade (realismo ingênuo) e a profunda reverência que se deve ter a toda realidade, sobretudo a humana (ética), até o entendimento do tempo e da história como sem-fim de possiblidades, que se abrem diante do ser humano (política) e a religação ao fundamento de realidade (filosofia da religião). Este livro recolhe o trabalho de diversos autores, espanhóis e brasileiros, que vem se dedicando ao estudo sistemático do pensamento de Xavier Zubiri nas mais diversas áreas do saber. Que seja mais uma oportunidade para as leitoras e leitores lusófonos conheçam esse grande pensador espanhol do século XX”.

238. 2020. VIERA ROCHA, Dom Jaime. Arzobispo de Natal. “A vida é missão”. In Voz do pastor, in Aquidiocêsis de Natal. A filosofia de Zubiri dá um apoio mais real aos católicos: A vida não é “em missão”, mas é “missão”.

239 2020. BELLO, J. S. Instagram. @prof.joathasbello. Tem uma janela dedicada a Xavier Zubiri. (28/1/2020) e também em contraosacademicoa.

240. 2020. NASCIMENTO DE Jesus, Carolina e NOGUEIRA PANIAGO, Rosinelde. “A inter-relação do ensino de ciências e educação física na escola do campo”. Goiás.

241. 2020. CESCON, Everaldo. Universidade de Caxias do Sul. Cescon continua se debruçando em Zubiri. Como sempre, o espanto com essas leituras surge do inédito da radicalidade da realidade, e não dos entes, e de seu caminho da inteligência senciente, no lugar da concipiente.

242 2021. FERNÁNDEZ TEJADA, José. Blog: Presença de Zubiri no Brasil. (zubiribrasil.wordpress.com)

Página dedicada ao estudo do filósofo espanhol Xavier Zubiri.

Página Inicial.

Dedicatória a Diego Gracia

243. 2021. MONTEIRO, Marcílio. Mestrando da PUC de PERNAMBUCO. Entrevista com José Fernández Tejada sobre Xavier Zubiri. Projeto FILOSOFIA Ser & Pensar. Segmento: Hermenêutica dos clássicos. Canal Youtube. https://youtu.be/OnNaNpLK78U: José Fernández Tejada, inteligência senciente 1 e2.

04 – JOSÉ FERNÁNDEZ TEJADA – [A INTELIGÊNCIA SENCIENTE] (XAVIER ZUBIRI) – PARTE 1

“Meu nome é Marcílio Monteiro. Sou mestrando em filosofia no Programa de Pós-Graduação da Universidade Católica de Pernambuco. Este projeto (“é a valorização dos intelectuais brasileiros especializados em filosofia e áreas afins”) tem como fim a produção de vídeos acadêmicos, que serão disponibilizados no canal do youtube FILOSOFIA: SER E PENSAR” 

“Ok, professor Tejada. O dia 20 de fevereiro de 2021 recebí do “nada” (e-mail no livro com Felipe Cherubin O que é a Inteligência? A filosofia da realidade em Xavier Zubiri, Lumen Juris, 2016) um convite que rompia um isolamento sobre minha inquietude de muitos anos de falar para muitos sobre X. Zubiri. Manifestei minha estranheza e também minha disposição rara de filosofar. “Pelo que me falas tens um ótimo enntendimento da inédita proposta de Zubiri”. E ele respondeu:

“Saúde e paz! Fiquei muito feliz com sua resposta. Estava receoso que não respondesse. Muito obrigado por responder e compartilhar algo de sua experiência pessoal. Desde que comecei a ler as obras de Xavier Zubiri, e os prefácios claríssimos de sua autoria, fiquei sempre com uma vontade de conhecer esse tal de José Fernandez Tejada. Essa curiosidade se deu em razão da propriedade, domínio e clareza com que você expõe o pensamento deste grande filósofo espanhol. Tenho uma grande admiração pelos pensadores da tradição  ibérica. Lendo Gilberto Freyre descobri a riqueza que caracteriza essa tradição.

Gilberto Freyre em seu discurso “A Propósito Dos Hispanos” proferido na academia de ciências de Lisboa, falou da “redescoberta do concreto” presente no “modo tradicionalmente ibérico do homem estudar-se a si mesmo, menos como ser abstrato que como ser situado”. De algum modo tal elogio freyreano à maneira espanhola de pensar aplica-se a Xavier Zubiri.”

Noutro e-mail se manifestava: “Muito obrigado pelo encorajamento. Dedicar-se seriamente ao filosofar não é algo fácil. São muitos os obstáculos que se colocam perante aquela pessoa que anseia inteligir filosoficamente a realidade. Não raro, as pessoas à nossa volta sentem dificuldades de nos compreender. Mas é assim mesmo. O importante é perseverar.

Agradeço, também, porque através dos seus textos sobre o pensamento de Zubiri, o senhor fez com que um extraordinário horizonte se abrisse perante meus olhos”.


“ESTE VÍDEO TRATA INICIALMENTE DA BIOGRAFIA, CONTEXTO E FORMAÇÃO INTELECTUAL DO FILÓSOFO XAVIER ZUBIRI. TAMBÉM FALA DA TRADIÇÃO FILOSÓFICA A QUEM ZUBIRI PERTENCEU (ESCOLA DE MADRID). POR FIM, ABORDA O CONCEITO E O OBJETO DA FILOSOFIA NA PERSPECTIVA ZUBIRIANA E A CONCEPÇÃO DE PESSOA SUSTENTADA POR ESTE FILÓSOFO ESPANHOL”.

Comungamos na mesma inquietação e proposta. E logo ele nos privilegiou na entrevista com suas perguntas sábias e de mergulho no pensamento de Zubiri.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: